Vida no Canadá: como você se relaciona consigo mesmo (a)?

Você é do tipo de pessoa que consegue conviver bem com a sua própria companhia sem ficar entediado (a) ou com a cabeça cheia de pensamentos negativos? Você costuma recusar alguns passeios para poder ficar em casa e relaxar no seu canto sem a interferência de outras pessoas? Mas e quando você precisar ficar sozinho (a) por um motivo de força maior, como uma pandemia, por exemplo?

Pois bem, entre muitas coisas, essas pandemia nos mostrou como têm pessoas que possuem uma dificuldade tremenda de aproveitar a sua própria companhia. Ouvi muitos relatos de pessoas que estão trabalhando de casa, e estão com muita dificuldade de lidar com essa situação de isolamento. Muitas estão enfrentando uma forte crise de ansiedade e/ou depressão, e só estão conseguindo melhorar agora que as restrições têm sido pouco a pouco relaxadas.

Mas por que eu estou falando sobre isso?

Quando a gente decide mudar para um novo país, e aí eu destaco, principalmente, as pessoas que estão planejando vir sozinhas, é muito comum se deparar com momentos de solidão. Vale ressaltar que casais, ou famílias, também não estão imunes a isso, haja vista, o tanto de relacionamentos que não estão sobrevivendo à pandemia, pois a companhia um do outro não está sendo suficiente para suprir às necessidades sociais do casal.

Nem todo mundo que resolve morar fora é super extrovertido e consegue iniciar amizades até em filas de supermercado. Há aqueles que são mais fechados, e levam muito mais tempo para se sentirem confortáveis para interagir com outras pessoas. Agora imaginem esses seres introvertidos, tendo que se relacionar com outros indivíduos em um idioma em que eles não se sentem 100% naturais. Conseguem ver onde quero chegar com isso?

Morar em um novo país tem muitos desafios, principalmente, no início, e nem todo mundo está preparado para enfrentar esses momentos em sua própria companhia. Alguns não aguentam isso nem que seja por poucos dias.

Mas então estou insinuando que essas pessoas não devem vir para o Canadá? Muito pelo contrário. O meu objetivo com esse post, é para alertar essas pessoas que isso precisa ser incluído na fase de planejamento da sua mudança. Isso mesmo! Estamos acostumados a pensar no planejamento mais focado na parte financeira, na escolha da cidade, nos documentos necessários, nos primeiros passos quando chegarmos no país, mas negligenciamos, muitas vezes, o cuidado com a nossa saúde mental. Se eu já sei que preciso estar rodeado de pessoas para ser feliz, então já tenho que incluir no meu planejamento, o que precisarei fazer quando estiver passando por um momento de solidão. Quais recursos devo recorrer? Como eu me sinto nessas situações? É algo que lido com facilidade ou preciso de uma ajuda profissional? Uma simples ligação para algum membro da família ou amigo resolverá o meu problema? Tudo isso precisa ser pensado antes de tomar uma decisão tão importante de deixar a sua vida no Brasil e partir em busca de algo desconhecido.

Também é preciso pensar em quais as melhores maneiras de conhecer pessoas e iniciar uma rede de relacionamentos quando chegar no novo país. Já comentei aqui no Blog que os Canadenses levam mais tempo para se abrir e iniciar uma amizade, diferentemente de como a gente está acostumado no Brasil. Esse processo acontece de forma mais natural quando se tem interesses em comum. Assim, é importante que você, ao chegar no Canadá, procure por atividades que te agradem, e assim, as chances de conhecer pessoas com as mesmas afinidades que você aumentarão. Alguns encontram isso na igreja, outros preferem as academias, a aula de zumba, o grupo de corrida, o clube de leitura, um aplicativo de pegação (ou site de relacionamentos, se preferirem), etc. Não importa a atividade, desde que seja algo que realmente te agrade.

Uma coisa que eu costumo alertar é que você seja verdadeiro consigo mesmo (a). Está se relacionando com o grupo A ou B apenas para não ficar sozinho (a) em casa, ou você se sente bem no meio dessas pessoas? Não há nada mais desagradável do que estar no meio de um monte de gente e mesmo assim se sentir só, já que não rola a menor afinidade com aqueles indivíduos. Isso é muito comum de acontecer com quem chega em um novo país. O medo, a ansiedade, a vontade de pertencer, acaba nos levando para esses grupos, e muitas vezes, isso acaba trazendo mágoa para ambos os lados quando aquela relação se quebra. Não era para ter acontecido para começo de conversa. Já vi esse filme algumas vezes, então, não sintam-se culpados se isso acontecer com vocês também. Não será a primeira, nem a última vez.

Se a solidão começar a apertar e influenciar a sua vida de forma muito negativa, não espere chegar até o fundo do poço para pedir ajuda. Se você já trabalha essas questões com terapia no Brasil, converse com seu terapeuta sobre a possibilidade de fazer atendimentos online quando você estiver no Canadá. Mais uma vez o COVID 19 mostrou que isso é totalmente possível. Se você nunca fez terapia antes, mas sentiu a necessidade depois que chegou no Canadá, procure um profissional sério e capacitado, seja ele brasileiro ou não. Vejo tanta coisa nessa internet, e pessoas que se dizem coach disso, coach daquilo, mas que têm uma postura e um discurso tão inadequados, que eu jamais me consultaria com esse tipo de profissional. Algumas empresas Canadenses, em seu pacote de benefícios para os funcionários, oferecem o chamado Employee Assistance Program (EAP). Normalmente esse benefício é utilizado por funcionários que estão passando por um momento de crise, seja por algum motivo pessoal, profissional, alguma perda, fim de relacionamento, e talvez por estar se sentindo sozinhos.

A paciência é algo que precisa ser trabalhada para quem vem morar fora. As coisas nem sempre acontecerão no ritmo que você planeja. As amizades sinceras e profundas talvez levarão um tempo para chegarem. Enquanto esse dia não chega para você, faça tudo o que estiver ao seu alcance para aproveitar bem a sua companhia. Escreva um blog, se for preciso. Até isso pode te ajudar a enfrentar esse processo. Acima de tudo, seja feliz. Você não veio para cá para sofrer. Saiba reconhecer os seus limites e tomar decisões que sejam favoráveis para você.

Espero que esse post te ajude de alguma forma. Novamente, inclua isso no seu planejamento, e você não terá surpresas negativas no dia que passar por uma situação como essa. Não espere ser pego por uma pandemia para perceber que há questões que você precisa trabalhar em si mesmo (a). Seja bem vindo ao Canadá e seja muito feliz por aqui, sozinho (ao) ou não.

Como mencionei hoje nos meus stories do Instagram, escrevi esse post sentado na minha sacada do prédio, onde passarei a maior parte dos meus fins de tarde. Nesse momento estou assistindo o pôr do sol, e quero finalizar esse texto com ele.

Um abraço a todos e até a próxima!!!

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s